Blog Bela Ilha
O que é o IPCA?

O que é o IPCA?

O que é o IPCA?

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é um dos mais importantes indicadores da economia brasileira. Ele corresponde à medida brasileira oficial da inflação. O Banco Central considera esse elemento para acompanhar o andamento da inflação e se o teto será alcançado.

Inicialmente, foi criado para corrigir os valores relacionados a empresas de diversas áreas. Medido e divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existe desde 1999 e se consolidou como uma ferramenta essencial para a gestão econômica do Brasil.

Como o IPCA é calculado?

O cálculo desse indicador é feito por meio da coleta de preços do primeiro ao último dia de cada mês. O levantamento acontece em estabelecimentos comerciais de todo o país, além de haver uma verificação dos custos de moradia e das empresas que prestam serviços públicos.

A ideia é encontrar a variação dos preços para chegar ao total do índice, de acordo com os pesos dados a cada área. Atualmente, há nove setores considerados para o cálculo. São eles:

  • alimentação e bebidas
  • artigos de casa
  • comunicação
  • despesas pessoais
  • educação
  • moradia
  • saúde
  • transportes
  • vestuário

Quando um dos mercados sofre uma grande alta, dependendo do seu peso, o valor no mês é acompanhado. O inverso também acontece e há meses em que o total é negativo.

Para fins de avaliação do Banco Central e do governo, o consolidado dos 12 meses é divulgado no final do ano ou no início do próximo. Se o número for positivo, houve inflação, que pode ou não estar no teto definido. Já um número negativo indica a deflação.

Quais são os impactos do IPCA na economia?

Como a inflação é uma das maiores preocupações macroeconômicas do Brasil, o IPCA hoje tem um papel muito importante no cenário. Primeiramente, ele representa qual é a perda do poder de compra, no caso de um valor positivo.

Quando o acumulado de 12 meses é maior que 0, significa que os mesmos R$ 100 do ano anterior compram menos itens que agora. Ou seja, há uma corrosão da capacidade de aquisição.

Esse número ainda serve para corrigir alguns contratos — principalmente, os de trabalho. O salário mínimo, normalmente, aumenta com a inflação (e é sem ganho real, se usar apenas o índice). Outros pagamentos também variam com ele, o que faz com que influencie a economia.

Os impactos são especialmente sentidos quando ele é elevado. Uma inflação acima da meta representa que a moeda brasileira está desvalorizada e com perda de potencial de compra. Normalmente, o Banco Central e o governo tomam algumas medidas para contornar o problema.

Nesses casos, o mais comum é a diminuição do dinheiro em circulação, de modo a conter o cenário. Isso se traduz no aumento da taxa Selic, que é a taxa básica de juros da economia. Com menos acesso ao crédito, é possível conter a escalada desse índice. Portanto, ele tem grande impacto nas condições econômicas.

Quais são os impactos do IPCA nos investimentos?

Como o IPCA interfere na economia, ele também está diretamente ligado aos investimentos. Trata-se de uma alternativa que pode ser usada em algumas aplicações de renda fixa — destacadamente, as de longo prazo.

O Tesouro IPCA, por exemplo, pode ter prazo de 30 a 40 anos e é corrigido de acordo com esse indicador mais uma taxa referencial. Assim, é possível ter a garantia sobre o retorno e a capacidade de compra do dinheiro.

Ele também é utilizado em alguns outros contratos de longa duração, além de causar influência indireta. Como seu aumento é capaz de elevar a taxa Selic (e vice-versa), altera o rendimento de investimentos associados a ela e ao CDI.

Por que acompanhar os valores do IPCA?

Ficar de olho na evolução do IPCA hoje e ao longo do ano é, primeiramente, um jeito de entender quais são as perdas associadas ao seu poder de compra. Ao conhecer as projeções e os números consolidados dá para ter uma ideia de quanto o seu dinheiro vale e consegue comprar.

Também é uma ótima forma de compreender como anda a situação econômica do país. Uma inflação galopante nunca é um bom sinal, já que indica descontrole e problemas diversos. Então, é um jeito de ter maior consciência sobre o cenário do país de maneira concreta.

Entre quem investe, essa é a melhor oportunidade para ficar de olho na rentabilidade real e em quais são as principais possibilidades. O investimento para poupança, por exemplo, pode perder para a inflação, mas para chegar à conclusão é preciso fazer uma análise completa.

Caso algum dos seus contratos tenha esse índice indexado, entender o seu desempenho ajuda a verificar quais serão os ganhos concretos. Portanto, é fundamental para compreender as características específicas da carteira.